Artigos
O Pr. Dari Dutra convida a todos os obreiros para a ultima reunião de obreiros de 2016 em nosso templo sede, no dia 15 de dezembro - quinta feira às 20:00hs, sendo que após a reunião haverá um jantar oferecido a todos os obreiros e esposa que estiverem presentes.

O Pr. Dari convoca todos os obreiros do campo de Palmeira das Missões - RS para a reunião fraternal dos Obreiros e Líderes de Departamentos no dia 17 de maio de 2014 as 14:30hs no templo sede.

Todos devem estar presentes.

 

 

           

    Veremos que a primeira festa da páscoa (PESSACH), cumpriu-se de maneira perfeita em Jesus.

                 O calendário bíblico começa com o mês primaveril de Nissan ou Abib; no dia 14 desse mês, ao entardecer, começa a páscoa judaica quando eram mortos os cordeiros. Em Ex. 12 Deus deu instruções a Moises sobre tudo o que deveria ser feito na noite em que o anjo destruidor passaria pelo Egito.

                Moises ordenou que no decimo dia do 1 mês toda a família israelita deveria tomar para si um cordeiro ou um cabrito, macho de 1 ano, sem defeito (Ex.12, 3 a 6) essa ordenança teve seu cumprimento de maneira impressionante em Jesus, que tornou-se o cordeiro de Deus para tirar o pecado do mundo. Seis dias antes da páscoa Jesus chegou a Betânia (Jo.12.1) próximo a Jerusalém, no primeiro dia da semana santa (domingo de ramos) ele entrou na cidade sobre um jumentinho acompanhado dos brados de jubilo do povo e dos discípulos (Jo. 12.12) ele veio a Jerusalém conscientemente para sofrer e morrer, a respeito disso havia falado varias vezes aos seus discípulos, mas eles não conseguiram entende-lo. Como podemos ver esse foi o decimo dia do primeiro mês, quando o cordeiro pascal tinha de ser separado. Jesus igualmente separou-se e recolheu-se para a sua ultima jornada de sofrimento e morte, como aconteceu com o cordeiro no Egito, que antes de ser sacrificado foi preparado por quatro dias (Ex. 12.6).

Leia mais:CRISTO, a nossa Páscoa. 1 Co. 5;7

Passar por lutas é normal e inevitável, sempre passaremos por elas. Outra coisa inevitável é questionar o por quê passamos por lutas ou, por que enfrentamos tantos problemas? Você já questionou o motivo de tantas lutas e provas? Parece que mal saímos de uma situação complicada e já entramos em outras.

Existem dois tipos de lutas. O primeiro tipo é a conseqüência normal de vivermos num mundo marcado pelo pecado e de nossas escolhas erradas. O segundo tipo é fruto das provas que Deus providencia ou permite para nós. Quando este segundo tipo de luta acontece; ou seja, quando Deus requer que nós passemos por lutas, Ele está querendo:

1) Provar o coração. (v.2, 5-6)

Não existe lugar melhor para se provar o coração de uma pessoa, do que, no momento que enfrenta problemas. Nesta hora sabemos em quem ela confia de verdade, se é madura ou não, se reage com tranqüilidade ou se vai se desesperar. Algumas vezes Deus nos leva a passar por problemas para perceber nossas reações e, saber onde está nosso coração. Se estiver passando por lutas lembre-se: Deus está provando seu coração. Ele quer saber se você tem o coração Nele e nas suas coisas.

2) Ensinar a perseverança. (v.3-4)

As lutas produzem em nós a perseverança. Precisamos de perseverança para correr a carreira cristã e recebermos as promessas de Deus, portanto se você estiver passando por lutas lembre-se que elas vão te fazer mais forte e melhor se você tiver perseverança e assim elas te levarão a alcançar as promessas de Deus. Agradeça a Deus pelas lutas.

3) Nos dar algo melhor. (v. 7-10)

Deus prometeu uma terra melhor para o seu povo se eles fossem fiéis e confiassem no Senhor. Algo melhor é prometido para quem enfrenta e vence as lutas.

Se você passa nas provas da 2° série da escola, conseqüentemente vai para a 3° série. Assim toda vez que saímos vitoriosos de uma luta, crescemos em Deus. Está passando por lutas? Lembre-se que elas podem te fazer crescer, se você vencê-las poderá alcançar coisas maiores.

Conclusão:

Deus nos leva a passar por lutas porque nos ama, e Ele deseja que sejamos melhores a cada dia. Deus prova nossos corações, gera em nós a perseverança através das lutas para nos dar algo melhor ainda. Você entende isso? Deseja vencer suas lutas junto com Jesus e se aproximar ainda mais Dele? Ore com fé pois o Senhor quer ouvir sua vóz.

Festa de Natal no templo sede

Estamos vivendo a proximidade do final de mais um ano e, com ela, a chegada das festas natalinas. Como sempre, o comércio está agitado: a maioria das pessoas, envolvidas pelas campanhas publicitárias sobre as ofertas de Natal, saem avidamente às compras, cumprindo cegamente o ritual consumista de final de ano e esquecidas do verdadeiro sentido do Natal e o que ele representa para nossas vidas.

Natal não tem nada a ver com Papai Noel, guirlandas, bengalinhas de açúcar etc. Também não tem nada a ver com troca de presentes, ainda que seja um gesto agradável. E muito menos ainda tem a ver com banquetes festivos regados a muita bebida alcoólica. Não! O Natal é Cristo.

É verdade que a data do nascimento de Cristo não é 25 de dezembro, já que Jesus deve ter nascido numa noite de primavera ou, mais provavelmente, numa noite de verão, já que o texto bíblico nos informa que, na noite de Seu nascimento, os pastores estavam com as ovelhas no campo (Lucas 2.8), o que não seria possível em dezembro, que é período de inverno no Oriente Médio. A data de 25 de dezembro para celebrar o Natal foi estabelecida pela Igreja Católica no quarto século d.C., com o objetivo de substituir as festas de final de ano pagãs do romanismo, que ocorriam em dezembro, por uma celebração cristã, voltada para Cristo.

Logo, surge a pergunta: “É correto, então, celebrarmos o Natal?”. Mesmo não sendo 25 de dezembro a data exata do nascimento de Cristo, comemorar o nascimento de Jesus de forma especial em uma data é válido. Alguns cristãos preferem não comemorar a data, não por considerarem o nascimento de Cristo algo importante, mas por frisarem o fato de que, à luz da Bíblia, todos os dias devem ser dias de celebrar Jesus. Já outros cristãos reconhecem o mesmo, mas, além de agradecerem a Deus todos os dias por ter enviado Seu Filho Jesus, também celebram o nascimento de Cristo de forma especial em uma data específica. Como disse o apóstolo Paulo, “um faz diferença entre dia e dia, mas outro julga iguais todos os dias; cada um esteja inteiramente convicto em sua própria mente” (Romanos 14.15).

O Natal é uma oportunidade de celebrarmos de forma especial este importante acontecimento, que foi a encarnação de Jesus, Deus que se fez carne por nós. É um culto de gratidão a Deus pela Vinda de Cristo. É também uma oportunidade de evangelização, isto é, de convidar as pessoas não-crentes a participarem de reuniões especiais onde ouvirão a mensagem da Palavra de Deus sobre as implicações e a importância do nascimento de Cristo. Inclusive, algumas igrejas, como já é de costume, preparam até cantatas natalinas e dramatizações para evangelizar de forma específica nesse período em que as pessoas estão mais sensíveis para a mensagem do Natal.

Fato é que se o Natal for celebrado, ele deve ser celebrado corretamente. Natal não tem nada a ver com Papai Noel, duendes, renas que voam, carruagens cheias de presentes, meias coloridas penduradas ou coisas parecidas. Papai Noel é uma invenção comercial, é a exploração da lenda de um monge medieval chamado Nicolau, que levantada ofertas durante o ano para comprar presentes para dar na noite de Natal às crianças de um orfanato. Em cima dessa lenda, a empresa de bebidas Coca-Cola criou, no início do século 20, o personagem Papai Noel e todos os outros personagens a ele associados, e que não têm absolutamente nada a ver com o Natal, mas que, infelizmente, acabam tomando o lugar de Jesus no coração, sobretudo, das crianças.

Natal é a celebração do maior presente de todos os tempos: “E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a Sua glória” (João 1.14). Jesus é Deus encarnado, Deus feito homem, que encarnou para, além de nos dar o exemplo de como devemos viver, morrer na cruz em nosso lugar, para remissão de nossos pecados. Essa foi a principal razão de Sua Vinda.

A Bíblia diz que Deus nos ama muito, mas nossos pecados nos afastam de Deus: “Vossas iniquidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o Seu rosto de vós, para que vos não ouça” (Isaías 59.2).

Exatamente porque “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23), não somos merecedores da comunhão com Deus e da vida eterna. Porém, a Bíblia também afirma que porque Deus nos ama tanto que providenciou a nossa Salvação. “O salário do pecado é a morte” (Rm 6.23a), mas Deus deu o Seu único Filho, Jesus Cristo, para morrer em nosso lugar. Jesus levou sobre si mesmo o castigo pelos nossos pecados, a fim de que tivéssemos direito à comunhão com Deus e à vida eterna com Ele. A Bíblia declara que Jesus foi “ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele e pelas suas feridas fomos sarados” (Is 53.5). E o próprio Jesus declara que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho Unigênito para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16).

Portanto, se você aceitar Jesus Cristo como o seu único e suficiente Salvador, aceitando o sacrifício dEle na cruz do Calvário em seu favor e entregando sua vida totalmente a Ele, a Bíblia afirma que os seus pecados serão imediatamente perdoados e você terá a certeza da presença de Deus em todos os momentos de sua vida aqui na Terra, conduzindo-o e ajudando-o em tudo, além da garantia de viver para sempre com Deus na eternidade. A Bíblia declara: “Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo” (Rm 5.1). “O dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6.23b).

Se você que nos lê ainda não aceitou Jesus, então o que está esperando? Aceite Jesus como seu Senhor e Salvador agora mesmo! Ele morreu na cruz do Calvário por causa dos seus pecados e ainda ressuscitou ao terceiro dia, vencendo a morte para garantir a vida eterna a você e dar um real significado à vida. Esta é a sua oportunidade! Não a desperdice! Cristo é a única esperança. NEle está o sentido da vida

Realizamos dia 25 de dezembro em nosso templo central uma belíssima festa de natal, com a participação das crianças, jovens e adolescentes que transmitiram a mensagem da genuína palavra do amor de Deus.

TV online

Bíblia on-line

Pedidos de Oração

Testemunhos

Mural de Recados

Visitantes
1306
Artigos
152
Ver quantos acessos teve os artigos
142238

Ultimate Facebook Like Box Slider